Portal JE10 - Cordeirópolis e Região

Portal JE10 - Cordeirópolis e Região

Farmácia de Plantão: FARMÁCIA DA TERRA,

Vereador Dudu fala dos 29 dias no CR de Limeira e relata seu processo

O vereador Rinaldo de Lima (PMDB), o Dudu,  ficou 29 dias no CR de Limeira e deu entrevista exclusiva ao radialista Denis Suidedos, através das ondas da rádio Vera Cruz FM.
Emotivo em alguns momentos, ele relata em mais de uma hora ao radialista, a injustiça que sofreu, conta o motivo de sua prisão e também relata as expectativas políticas já que obteve 379 votos, o terceiro vereador mais votado.
Dudu, 43 anos, natural de Pernambuco, de uma família de 11 irmãos, mora em Cordeirópolis há 23, casado, pai de uma filha e antes da aquisição de seu comércio no Jardim Cordeiro em 2006, trabalhou como ceramistas há muitos anos.
Denis Suidedos  (DS) – Conte-nos o que de fato aconteceu;  como recebeu a notícia .
Rinaldo de Lima ( RL)-  Na verdade também fiquei surpreso, pois esse processo é de 2010 e achava que tinha até extinto, foi realizado audiências na época e depois não recebi nenhuma notificação referente ao caso. Esse processo é referente a máquinas caça niqueis, onde no Brasil é uma contravenção penal, já que no Brasil é proibido. Eu estava trabalhando quando chegaram os policiais que vieram cumprir um mandato de prisão, e foi nesse momento que tomei conhecimento dos fatos.
(DS) Dudu, o fato aconteceu logo após a eleição, você acredita que isso seja uma emboscada política?
( RL)-  É muito recente pra dizer isso, mas todos os indícios que me leva a crer é que tem algo envolvido de política. Porque antes as pessoas viam o Dudu de outra maneira, e depois de muita luta e dificuldade,  viram que consegui chegar onde cheguei, já passaram a olhar de forma diferente. Ainda é cedo pra afirmar algo, mas os indícios levam a crer que é tudo política devido a forma que conduziu essa situação.
(DS)- Nesse  desenho que você relata, nos conte onde errou, se pudesse voltar em 2010 o que faria, o processo tem fundamento ou não?
( RL)-  Em 2010 não passava em minha cabeça ser um político. Eu tenho o bar desde 2006. Aí pergunto: teoricamente, qual bar nunca teve uma máquina, não tem um jogo de azar¿ Em 2010 foram diversos bares notificados como eu, e ninguém foi preso. Afirmo que houve um erro por minha parte, eu errei, mas não um crime, contravenção não é crime, e esse processo foi enrolando todos esses anos e eu nem sabia que existia mais.  Aí quando você se envolve na política, as pessoas buscam os erros e ficam julgando sem saber o que de fato aconteceu. 
Peço às pessoas que não me julguem, antes de ouvirem a minha versão, pois não estou aqui querendo dizer que não errei. Considero-me um cidadão de bem e quero deixar aberto e dizer que o Dudu não é tudo isso que foi julgado. Antes venha até mim, minha casa está aberta para conhecer o Dudu, onde antes de ser um vereador, sou um trabalhador que sai de casa e fica de 10 até 12 horas trabalhando pra conseguir sustentar a família. E em meu estabelecimento está toda minha família, minha esposa, minha filha, portanto, antes de julgar me conheçam.
(DS)- Nesse processo de 2010 outros bares foram envolvidos e notificados, e sabemos que a legislação brasileira ainda não permite esse tipo de jogos, diferente de outros países que é liberado, lhe pergunto: porque acredita que somente você foi penalizado, qual a diferença sua dos demais?
( RL)-  Até hoje eu procuro saber motivo, e quero acreditar que não seja uma maldade politica, e digo aos que perderam seu tempo em me acusar, percam também seu tempo em ler o processo, pois verão que há muitos erros nele. Primeiro erro: quando se tem um advogado constituído, ele deve ser notificado de qualquer audiência que envolva o acusado, e nesse caso, o meu nunca foi notificado.
O Fórum de Cordeirópolis nunca notificou sobre as audiências e ele próprio reconheceu que omitiu algumas informações ao meu advogado, e isso está no processo. E mesmo assim continuou errando e mandando pra outro advogado daqui da cidade, que não era meu advogado constituído e que nunca relatou ou encaminhou as notificações ao meu advogado. E até hoje a justiça continua dizendo que esse de Cordeirópolis continua sendo meu advogado, quando na verdade,  o meu já notificou inúmeras vezes que não é esse de Cordeirópolis.
E nesse caso como foram encaminhados  várias vezes ao colégio recursal de Limeira esse processo e não teve a minha defesa,  fui condenado por revelia. 
(DS)- Como é ficar 29 dias na prisão?
( RL)- Fiquei 29 dias, mas que pareceram 29 anos e ainda mais por um motivo fútil, pois  considero um erro, pois tudo poderia ser consertado.  Meu advogado foi cinco vezes pra São Paulo falar com o desembargador e nem se quer havia lido o processo. Vemos em nosso país tanta coisa errada, pessoas que matam e nem se quer vão presas. Não estou aqui omitindo meu erro, mas não cometi crime, me considero um cidadão do bem. Moro há 23 anos em Cordeirópolis  e pode procurar todos esses anos se o Dudu cometeu algum erro nesses anos  todos. Me sinto injustiçado. 
(DS)- Como foi sua rotina no CR?
( RL)- Quando se fala em CR, pensa em Centro de Reeducação e lá não tem nada em reeducação e sim um centro de humilhação, quando sai é vigiado e ao entrar tem que estar pelado, pra saber se não está levando nada pra dentro. Ali estão pessoas que não devem ir a um presidio e muitos me perguntavam: o que você está fazendo aqui, e a minha resposta era: a justiça me colocou aqui. Você entra um peixinho e se tiver a mente fraca sai como tubarão. 
(DS)- Como era, você ficava num quarto, como era a alimentação?
( RL)- Ficava numa cela, um cômodo por volta de quatro por quatro metros quadrados que deveria abrigar 12 pessoas e havia 14. A alimentação era arroz, feijão e ovo ou salsicha e não poderia reclamar, pois era repreendido.
(DS)- E nesse período você podia receber visitas?
( RL)- As visitas eram às quartas-feiras, sábado e aos domingos. 
(DS)- Logo que você saiu de cena, as redes sociais ficaram 24hs falando do Dudu, como você ficou sabendo das notícias?
( RL)- No próprio presídio fiquei sabendo um pouco do que estava acontecendo, porque as TVs de Limeira vinham constantemente trazendo minha vida, até mesmo não entendia o porquê em trazer tanto, a TV Jornal trazendo acusações, enfim. Eu queria até pedir que a mesma força que eles tiveram e o mesmo empenho que eles tiveram lá no CR, filmando que estava o vereador de Cordeirópolis e fizeram acusações falsas de lavagem de dinheiro, pois foi assim que fiquei conhecido dentro do CR, porque a TV Jornal vinha todos os dias dizendo: aqui está preso o vereador de Cordeirópolis, acusado pela lavagem de dinheiro, bicheiro, envolvido em máquina de caça níquel, e peço hoje a eles que me procurassem pra saber quem é o Dudu, e o real motivo que levou tudo a isso.
Tenho carteira registrada por 22 anos, trabalhei em cerâmica, tenho família, sou trabalhador e minha esposa é quem trabalhou nesses 29 dias pra não passar dificuldade, e como acusam uma pessoa sem ter provas, pois acusar uma pessoa que não pode se defender é fácil. 
(DS)- Como está sua situação como vereador? Você foi suspenso por 120 dias e também tem uma ação do MP, o que você pode falar.
( RL)– Após minha saída, soube dessa ação do MP, teve um partido da cidade, o PPS,  que não sei por qual motivo entrou com ação. Esse partido esteve por oito anos governando a cidade  e  admirei a administração deles e nunca ataquei ninguém na política, e muito menos pessoalmente, pois sempre acreditei que as pessoas estavam cansadas em ouvir ataques, e sim queriam ouvir ideias, projetos, porque as pessoas já sabem quem errou e eu fui apresentar meus projetos e vem o PPS com pedido de cassação do meu mandato me atacando e me acusando.
Na terça-feira (07), durante a sessão terá um Projeto referente a esse pedido, e quero deixar claro aos amigos e até quem não é de meu partido, para analisarem bem,  pois não está em jogo somente a minha vida politica ou pessoal, mas tem 379 votos, tem 379 vidas que me elegeram porque confiaram no que falei, e não acho justo agora, tirar esse direito meu, como de todas essas pessoas, eu acho que seria injusto.
( DS)-Você acha coincidência essa ação de prisão logo após sua diplomação?
( RL)- Não foi uma coincidência, pois todo o reboliço que foi feito em minha vida está em todos os jornais, foi o PPS, não sou eu que estou dizendo, mas foi o PPS que entrou no Ministério Público para investigar a minha vida, e tenho provas, portanto, não acho coincidência. 
Pode até ser forte o termo que irei usar, mas acho uma covardia, porque acusar quem não pode se defender  é fácil. E quero dizer a Maria Antonia que antes dela falar, me acusar, ela tem que saber da minha alma, do meu sangue, e antes dela ir ás redes sociais que ela me conhecesse primeiro, porque eu não a conheço e nunca a ataquei e nem se quer citei o nome dela politicamente , então que ela tenha a dignidade em me conhecer, e deixo claro que irei mover um processo contra a senhora Maria Antonia e contra o PPS e todas as pessoas de Cordeirópolis, que injustamente me acusaram e não me deram um direito de defesa, não adianta a senhora depois de ter postado e ter apagado, pois tenho provas, e em breve saberá das provas que tenho. 
E se eu tive 379 votos, foi pela minha dignidade que tenho,  coisas que a senhora nunca saiu de sua cidade, do centro e veio nos bairros conhecer as dificuldades que existiam no Jardim Cordeiro, Jardim Eldorado durante o período dos oito anos que o PPS teve governando a cidade, pois hoje vocês perderam o poder e estão procurando alguém para acusar.
( DS)- Ao chegar em sua casa tinham amigos querendo saber como você estava, enfim, enquanto alguns tentam fazer politicagem com você, por outro lado conheceu mais pessoas que estão te apoiando por este momento.
( RL)- Cheguei na sexta a tarde em minha casa e até hoje passaram muito mais que os 379 votos que obtive na eleição, porque eu não construí minha vida em cima de política e sim em amizades, verdadeiros amigos. O que me conforta hoje é esse contato, e tudo que está sendo falado não é verdade. Vamos esperar se a justiça terá a mesma agilidade para apurar, da mesma forma que tiveram para me condenar, e eu quero acreditar que nada disso foi politicagem, mas tudo leva a crer que sim.
( DS)- Você acredita que ainda passará a legislar, qual a sua expectativa política?
(RL)- Tenho dois meses para cumprir a prisão domiciliar, sobre a votação quero deixar bem claro que não estarei lá, mas terá pessoas me representando, e quero pedir desde já,  que não somente os vereadores do meu partido, mas aqueles que me conhecem ou conheceram que não me julguem por esse pequeno erro que cometi, mas a justiça cometeu maior,  e que me deem a oportunidade para eu me defender  e mostrar a eles quem é o Dudu. Já as pessoas que também não conhecem o Dudu, que não me julguem pelos jornais e Tvs, mas que procurem saber  quem eu sou.
Sobre o meu mandado, ficarei suspenso por 120 dias e a espera da decisão que o MP também tomará, e quero pedir desde já,  que o MP não me condenasse da mesma forma que a justiça me condenou e me dessem essa chance e não tirem o direito das pessoas que acreditaram em mim. 
( DS)- Esclareça sobre a questão como conseguiu ser candidato e depois apareceu esse processo
( RL)- Quando fui candidato, todos os documentos que o cartório eleitoral me pediu eu entreguei, não tem como registrar uma candidatura faltando documentação, foi entregue tudo, certidões negativas, a minha vida foi passada a limpo, no entanto, que o MP solicitou ao cartório eleitoral informações de como consegui ser candidato e ele mesmo encaminhou todas as certidões à justiça. Agora pergunto:  eu errei em que¿, porque o MP irá tirar esse meu direito.
A minha vida política iniciou em 2012 quando tive 200 votos, não se faz em 45 dias, portanto, tudo que foi pedido em 2016 foi entregue, fui diplomado, fui empossado, e porque só agora tenho que perder o direito em ser uma pessoa digna de Cordeirópolis.
 ( DS)- Que lição você tira de tudo isso?
( RL)- Tem coisas em nossa vida que te pega de surpresa, e essa foi uma, mas quero pedir mais uma chance às pessoas de Cordeirópolis e pode até ser repetitivo: não me julgue por tudo que está acontecendo e falando, pois a maioria são inverdades, que a oposição implantou, mas a lição maior que irei tirar disso é um provérbio antigo: Deus só dá o peso de acordo que consegue carregar, e é isso que entendo. 
( DS)- Suas considerações aos que te conhecem
( RL)- Agora falo aos que não me conhecem, pois quem me conhece sabe de meu caráter, que esses não saiam do anonimato para me atacar sem me conhecer e sem eu poder me defender, pois isso se chama covardia, pois a política não é suja, e sim as pessoas da política que são sujas e antes de atacarem lembrem que  possuo uma família. Tudo isso por poder, porque queriam colocar vereadores do lado deles.
Imaginem o que minha família passou nesses 29 dias, meus 11 irmãos e meus pais lá do Maranhão sem saber o motivo que estava preso. Minha esposa, minha filha, e se eles querem o poder, podem ficar, eu só quero minha vida de volta, quero minha dignidade de volta.
Quando cheguei a Cordeirópolis fiquei 45 dias comendo só abacate, poderia ter ido de volta a minha terra, mas escolhi essa cidade pra eu morar, e nunca pensei que nela iria passar o que passei.
Se for por causa de política e de poder, eu dou pra quem quiser, só não quero que as pessoas olhem pra mim e ficam me julgando: esse daí foi preso, esse é um bandido, e é isso que as pessoas falam sem antes saberem os motivos.
( DS)- Você acha que alguém se beneficiou com sua prisão
( RL)- Pessoalmente talvez sim, mas politicamente achavam que iriam se beneficiar,  e se eu tiver que renunciar, eu renuncio, mas não irão se beneficiar  por causa de mim. A cidade de Cordeirópolis não irá sofrer por causa de mim, pelos meus direitos irei lutar até o fim, e se não tiver jeito eu abrirei mão, mas esse poder achando que irá tomar conta de Cordeirópolis não vai, pois ao meu entender, política não é poder, política é poder fazer o bem às pessoas e é por isso que eu entrei à política. Eu não quero o poder, eu quero poder fazer as coisas aos bairros carentes que não foi feito por esse poder que quer tomar Cordeirópolis. 
 ( DS)- Você acha que se você não tivesse ganho ou o seu grupo, você estaria passando por isso?
( RL)- Não estaria, até mesmo porque nem mesmo eu sabia que estava esse processo.
( DS)- E depois de 2010 você nunca mais teve maquininha no bar?
( RL)-  Não, nunca mais tive, queria saber qual o dono de bar que não tinha maquininha em 2010 aqui, quantos foram indiciados por esse erro e quantos foram a cadeia por esse motivo.  Porque sete anos depois, teve que ser o Dudu. 
Não irei acusar igual eles fizeram comigo, mas deixarei a justiça investigar e usem os mesmos critérios para analisar,  da mesma forma que usaram para me condenar. Que analisem todos os erros do processo e não me deram a chance em me defender.
( DS)- Quero agradecer a abertura que nos deu para essa entrevista , e a oportunidade em se defender perante a situação
( RL)-  Agradeço por essa oportunidade em falar ás pessoas que não me conhecem e que me viam com olhares diferentes. O Dudu é essa pessoa que falou e não o que acusaram, e falar da injustiça que a mim foi cometida. Que os nobres colegas vereadores  analisem a história do Dudu. Já pedi para alguns virem a minha casa, alguns já vieram e outros virão, e na medida do possível irei conversar com todos. 
Que eles não sejam contra mim, mas deixem o MP terminar o trabalho,  e sim reflitam,  e não cometam uma injustiça. É isso que espero dos meus colegas vereadores e até mesmo da oposição, pois também tenho amigos, pois não fiz inimizade com ninguém. 
 


Deixe um comentário Para "Vereador Dudu fala dos 29 dias no CR..."