Portal JE10 - Cordeirópolis e Região

Portal JE10 - Cordeirópolis e Região

Farmácia de Plantão: Drogaria Total - Unidade Bom Jesus I,

Eleições 2018: Qual é o perfil do eleitorado de Cordeirópolis?

São 18.699 eleitores, mulheres são a maioria e pessoas com ensino fundamental incompleto também. O Portal JE10 conversou com o Cientista Político, Israel Gonçalves, que analisou o perfil dos eleitores de Cordeirópolis e como isso pode implicar na hora do voto

Faltando menos de um mês para as eleições que definirá presidente, governadores, senadores, deputados federais e estaduais, o Portal JE10 realizou uma análise do eleitorado de Cordeirópolis através das informações divulgadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para entender melhor, apresentamos os resultados ao Cientista Político, Israel Gonçalves, que analisou e apontou características dos eleitores.

A nossa equipe reforça ainda que as informações contidas nessa reportagem não têm viés político e sim apenas informativo com base científica.

Neste ano, 18.699 eleitores cordeiropolenses vão para as urnas, são 769 pessoas a mais do que as últimas eleições gerais ocorrida em 2014. Destes números, vale ressaltar a faixa etária predominante entre os eleitorados. Como apontado pelo TSE, o município tem uma grande concentração de pessoas entre 25 e 44 anos um total de 7.893 pessoas de ambos sexos. Para o cientista político, Israel Gonçalves, ambas as informações podem apresentar algumas decisões.

“Temas como emprego e segurança devem ser a demanda desse grupo dessa idade, observa-se também que não há uma grande oscilação entre homens e mulheres na faixa etária citada. Vale aprofundar, que a cidade não tem o número de votos suficientes para eleger um deputado estadual ou federal para representar a cidade de forma mais específica. Nesse cenário, a cidade deve receber muitos candidatos de outras regiões. Nessas cidades o cabo eleitoral ou os políticos já eleitos tem muita relevância, porque já conhecem as famílias e podem pedir votos com mais facilidade”, apontou Israel.

Dos eleitores aptos para votar, aponta o TSE que o município conta hoje com um total de 5.480 pessoas com ensino fundamental incompleto representando 29,31% do total. Instruídos com ensino médio completo temos 4.591 pessoas (24,55%), com o ensino médio incompleto o número é menor são 3.423 (18,31%), com o ensino superior completo o número é de 1.794 pessoas (9,59%), já o ensino superior incompleto são 698 (3,73%), que sabem ler e escrever o número é de 657 (3,51%) e analfabetos 220 (1,18%). Diante desses dados, Israel, analisa que a escolaridade pode ter um papel importante na hora de escolher um candidato.

“As pesquisas indicam que baixa escolaridade está vinculada com baixa renda. Partidos de massas e ligados a um discurso de esquerda tendem a ter mais votos dessa população. Quanto maior a escolaridade, maior a renda do indivíduo. Esse eleitor mais instruído, em boa parte tem votado em candidatos com discursos mais à direita e na redução do tamanho do Estado. No caso de Cordeirópolis com base nos números pode indicar um equilibrio, mas é complicado afirmar algum direcionamento de voto desse grupo”, analisou.

 

A INTERNET:

Diante das discussões calorosas na internet e campanhas cada vez mais online, Israel, observa que esse fato era de se esperar. Mas indica, que isso não ganha eleição e o que é visto hoje pode ser diferente dos resultados que veremos na urna.

Atualmente no Brasil cerca de 70% da população tem acesso à internet. Por isso, as redes sociais estão a cada eleição mais incisivas no debate, todavia likes nas redes sociais não significam votos. Os eleitores estão, em boa parte, conscientes que podem ocorrer manipulações e uso de tecnologia que poderiam potencializar um ou outro candidato. Poderemos ter surpresas nessas eleições, porque muitos candidatos que estão com alta audiência nas redes sociais poderão ter um número de votos menor do que esperados pelos seus militantes”, relatou.

AINDA MAIS SOBRE CORDEIRÓPOLIS:

No eleitorado do município, 9.899 eleitores na hora de seu voto utilizarão o serviço de biometria e os outros 8.800 seguem da forma tradicional, sem a biometria.

Ainda de acordo com os dados, o público feminino representa a maioria são 9.480 mulheres, sendo um total de 50,7% dos eleitores. Os homens somam 9.209, ou seja, 49,2% da parcela. Não informado, representa 10 pessoas, sendo 0,053% do total.

Os dados de estado civil apontam que a maioria dos eleitores são solteiros, o número é de 9.233 pessoas, 49,4% do total. Os casados são 7.967, ou seja, 42,6%. O número de divorciados vem logo atrás, são 692 pessoas representados em porcentagem isso significa 3,70%. O número de viúvos são 2,72% um total de 508 pessoas e a separados judicialmente são 1,53% do total um número de 286 e os que não informaram representam 0,070% sendo representado por 13 pessoas.

COMO DEFINIR ESSAS ELEIÇÕES?

“Analiso que no âmbito nacional ocorreu uma radicalização no discurso de um candidato e, isso, mexeu em todo o conjunto eleitoral. Isso pode ser entendido como um reflexo das denúncias de corrupção feitas pela Operação Lava Jato, à qual fez com a sociedade tivesse receio de votar e continuar financiando um sistema corrupto. Enfim, o sistema político eleitoral está desacreditado pelo eleitor, o alto número de eleitores que ainda não decidiram ou irão votar em branco será o maior das eleições.  É uma eleição de discursos extremos”, finalizou, Israel.

QUEM É ISRAEL GONÇALVES? 

Israel Aparecido Gonçalves é limeirense e realizou seu mestrado em Ciências Política na UFScar. Outras informações ou dúvidas você pode entrar em contato com ele através do e-mail educa_isra@yahoo.com.br

 

 



Leia Também

Deixe um comentário Para "Eleições 2018: Qual é o perfil do eleitorado..."