Portal JE10 - Cordeirópolis e Região

Portal JE10 - Cordeirópolis e Região

Farmácia de Plantão:

Entre lotes e casas, audiência apresenta mais de 3600

Sonho da casa casa própria mobilizou moradores

Jardim Aurora, Jardim Cordeiro III,  Jardim Celeste I e II, Jardim Emilia, Jardim Itajay, Jardim Paraty II e mais glebas de terras que virarão lotes e residências somarão mais de 3680, este é o número que foi apresentado durante a audiência pública que aconteceu no dia 21 de fevereiro na Câmara Municipal.

Na oportunidade o prefeito Adina Ortolan, explanou como irá discorrer o Programa de habitação de interesse social, por meio da ação para construção das suas casas para famílias de baixa renda. Ao todo serão disponibilizados mais de 3600 empreendimentos entre casas e lotes num prazo médio de quatro anos.

“Nós já temos um levantamento que temos um déficit de 2500 casas, portanto, colocando esse projeto em ativa, iremos sanar esse problema que há anos prejudica nossa cidade”, explicou Ortolan.

A viabilidade do Programa intitulado como “meu Pedaço de Chão” consiste em dar condições para famílias de baixa renda, sendo assim, a prefeitura irá subsidiar um valor de R$ 10 mil reais, seja para a construção do seu imóvel, seja para a aquisição do terreno, compra de materiais de construção e até mesmo para pagar a mão de obra.  O subsídio para a compra dos lotes será feita por empreendedores imobiliários privados, sendo que esses deverão indicar no credenciamento o número de lotes a ser ofertado no programa e deverá ser parcelado no mínimo em cem vezes.

Caso haja uma rescisão do contrato por falta de pagamento, o empreendedor não poderá vender a outros e sim comunicar a Secretaria de Obras para que o mesmo seja repassado a outro inscrito que esteja em fila de espera.

Outra cláusula existente no Programa é que o imóvel adquirido deverá ser registrado imediatamente com gravame em que conste o valor do subsídio e não poderá ser transferido a terceiros, caso contrário, deverá devolver aos cofres públicos o valor do subsídio corrigido monetariamente.

Já no caso de aquisição de residências, o subsídio poderá ser utilizado para a entrada do negócio, inclusive para financiamentos em instituições bancárias.

O prazo também é determinado, pois o beneficiário terá um prazo máximo de um ano para a construção, a contar da data de liberação para a construção, caso não cumpra, esse imóvel retornará ao município, e não será indenizado por eventuais melhorias que tenha feito no local.

O terreno terá uma metragem média de 140 metros quadrados e o pagamento para as parcelas também terá um prazo, pois o município dará uma carência de um ano, prazo máximo para a construção da moradia.

Para fazer parte do programa o o beneficiário não deverá ultrapassar uma renda mensal de R$ 4650,00 e que resida há pelo menos cinco anos no município, que não possua imóvel em nome próprio ou de integrante do grupo familiar, e que não sejam beneficiários de programa habitacional no município.

As prioridades para as famílias se

rão as que já estão cadastradas e que vivem em áreas de riscos, no caso das ocupações da Constante Peruchi (76), Estação Ferroviária (70) e rua dos Lírios no Jardim Eldorado (10). Ao todo somam 156 famílias.

Ainda não há data para abertura das inscrições e será divulgado assim que estiverem liberados. O  Programa passará pela aprovação dos vereadores.

Veja aqui na íntegra todo o programa e números de loteamentos.

 





Leia Também

Deixe um comentário Para "Entre lotes e casas, audiência apresenta mais de..."